domingo, 30 de abril de 2017

Prosperidade emocional 1

O bom domínio das emoções é garantia de uma vida psíquica saudável. O equilíbrio emocional permite o bom uso do senso crítico, favorecendo adequadas escolhas para o desenvolvimento pessoal. Uma pessoa próspera, necessariamente, é alguém que alinhou suas capacidades intelectivas com o uso pertinente de suas emoções. O senso de oportunidade para o aproveitamento dos momentos da vida requer a propriedade de si mesmo, o discernimento da emoção que se sente e a assertividade no propósito que se deseja alcançar. A prosperidade emocional favorece a vivência do bom da vida, tornando-a mais comum nas experiências cotidianas.


 Extraído do livro O Bom da Vida.

sábado, 29 de abril de 2017

Viver com Emoções - Aprendizagem com a sensação e o sentimento


Aprender a usar o corpo como instrumento movido por estímulos externos e internos, que possuem suas leis específicas, é fator de crescimento, principalmente quando são compreendidos como símbolos a serem decodificados. O Espírito necessita utilizar seus instintos, suas emoções e sua capacidade de conectá-los para elaborar complexos julgamentos a respeito da vida. A função que nos permite comparar ou agrupar os elementos que compõem a realidade percebida, possibilita o desenvolvimento da capacidade de nos guiar por cenários próprios, mobilizando o Universo. O colorido que emprestamos à realidade é próprio desta função, que capacita o Espírito a enxergar o bom da vida. Graças aos instintos, que promovem o desenvolvimento das emoções, embriões geradores de sentimentos, o Espírito aprende a estabelecer os julgamentos necessários a suas escolhas. Os cenários que constrói e os julgamentos que estabelece oferecem o discernimento necessário para perceber o bom da vida. A sensação nos permite desenvolver a capacidade crítica, guiando-nos pelos instintos, sem, no entanto, a eles nos submeter. Com eles, vamos aprendendo a construir sentimentos e elaborando as emoções primitivas para que elas não nos tomem. Os instintos corporais são guias que nos permitem conhecer como a Natureza nos fez e os sentimentos são poderosas alavancas que nos levam à compreensão do que ela quer conosco.

Extraído do livro O Bom da Vida.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Viver com Emoções - Distinguir prazer de Felicidade 1


O ser humano, em suas ações, pensamentos e sentimentos, busca a felicidade. Aprende, nas várias experiências em que busca o prazer, a encontrar a felicidade, mas sem uma noção precisa do que conquistou. Passo a passo, através do corpo e da mente, assimila as leis de Deus para alcançar sua plenitude espiritual. Busca, psiquificando tudo que interpreta oriundo de suas sensações, passar do prazer corporal às experiências enriquecedoras do Espírito. Às sensações do corpo, ocupa-se em acrescentar as emoções da alma, pois estas permitem saltos de qualidade na evolução individual. Sem desprezar os prazeres do corpo, dando-lhe a intensidade adequada aos seus propósitos, percebendo que sua felicidade depende mais da qualidade e do valor do que sente, investe no que lhe proporciona a perenidade de sua paz interior. O bom da vida não dispensa o prazer, mas o situa como uma escolha ao que promove o desenvolvimento da personalidade e a realização pessoal.


Extraído do livro O Bom da Vida.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Viver com Emoções - Educar sem reprimir-se e nem se exceder 2

O bom da vida requer a liberação consciente das emoções que irrompem na Consciência, sem que se considere um mal ou um atraso na personalidade. Emoções são vetores carregados de energia a serviço da Vida, para que o Espírito possa desfrutá-la. Por outro lado, liberar de forma excessiva as emoções sem a devida educação, ou pelo menos sem que se desenvolva o equilíbrio, levará o indivíduo ao descontrole e a dificuldades em ser aceito socialmente. Como toda falta é prejudicial, todo excesso também o é.



Extraído do livro O Bom da Vida.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Viver com Emoções - Educar sem Reprimir-se nem se Exceder 1


Quando não se consegue liberar adequadamente as emoções, reprimindo-as, provoca-se o acúmulo de tensões que exigem compulsoriamente expressão. Quando o desejo emocional surge e não é naturalmente vivido, promove, tempos depois, o surgimento de angústia, de frustração e de vazios existenciais. Quem muito reprime as emoções acaba por liberá-las explosivamente. Esse é o motivo por que pessoas que se mostram bem calmas, de vez em quando explodem com mínimas contrariedades. É necessário aprender a liberar adequadamente as emoções, não permitindo seu acúmulo nem esquecimento de que elas jazem cumulativamente no Inconsciente.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Viver com Emoções - Valorizar e Legitimar as Emoções 2

A valorização de uma emoção deve implicar no aproveitamento da oportunidade para a integração da resultante da experiência no repertório emocional pessoal. Todo momento é oportunidade de crescimento emocional e de autopercepção, visando o aperfeiçoamento espiritual da pessoa. Desfrutar o bom da vida também requer a total capacidade de experimentar a empatia nas relações interpessoais. Deve-se evitar fugir do contato com uma emoção no momento em que ela é percebida. Estar em contato com ela significa que a própria alma está se expressando, cuja percepção favorecerá o autoconhecimento e a autotransformação.


Extraído do livro O Bom da Vida.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Viver com Emoções - Valorizar e legitimar as Emoções 1


Sempre que houver a expressão, consciente ou não, de uma emoção, ela deve ser nominada, isto é, deve-se buscar saber qual a sua natureza, bem como qual o motivo que a fez vir à tona. Nenhuma emoção deve ser desprezada nem desvalorizada, mas compreendida e assimilada sua função para o equilíbrio geral da personalidade. Quando se trata da percepção de emoções alheias, elas devem ser respeitadas e tratadas com empatia para que se promovam ótimas conexões afetivas com as pessoas.

                                                    Extraído do livro O Bom da Vida.

domingo, 23 de abril de 2017

Viver com Emoções - Estimular a Expressão das Emoções

As experiências da vida levam ao eliciamento de emoções e constituem fatores catalisadores de emissão de vibrações que geram estados de consciência específicos. Quando não estimuladas não promovem aprendizado, reduzindo significativamente o tônus vital, sacrificando e atrasando a personalidade. Uma vida morna, sem o estímulo às expressões das emoções que jazem no Inconsciente à espera de contato pela Consciência, torna-se vazia e pequena, reduzindo a complexidade e a aquisição de habilidades pelo Espírito. Tais estímulos devem ser conscientemente provocados à medida que o Espírito se desenvolve e amadurece para as experiências da vida. Devem ocorrer na medida adequada ao nível evolutivo do Espírito, com crescente aumento de complexidade, promovendo a ampliação de seus horizontes. A aquisição do bom da vida implica também na estimulação de experiências emocionalmente ricas e no permanente fluxo de ideias superiores que se abriga na Consciência.



Extraído do livro O Bom da Vida.

sábado, 22 de abril de 2017

Viver com Emoções - Permitir a liberação das emoções

Resultado de imagem para percepção do bom da VidaToda emoção que nasce no mundo interior inconsciente, recebe contribuição dos estímulos externos, como também da consciência, deve e precisa ser dirigida para algum objetivo. É uma expressão do Espírito, mesclada com a resultante de suas próprias experiências pregressas e atuais. Não liberá-las significa reprimir os desejos que nascem da alma e que requerem a devida atenção, para a evolução espiritual. A transformação que levará o ser humano à felicidade passa pela liberação educada de suas emoções, transformando-as em ações que efetivamente promovam seu bem-estar e contribuam para o bem-estar coletivo. O não acúmulo de tensões emocionais favorece a percepção do bom da vida, libertando a Consciência para a construção de uma personalidade ótima.


                                                                       Extraído do livro O Bom da Vida.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Viver com Emoções 7

Resultado de imagem para percepção do bom da VidaÀs vezes, as emoções viscerais (medo, surpresa, raiva, euforia etc.) surgem sem que o eu da consciência tome parte, provocando tensões corporais, enrijecendo a postura de forma permanente. O corpo, como parte viva da consciência, recebe as consequências da manipulação das emoções, razão pela qual o Espírito deve educar seu mundo emocional, desenrolando-se dos complexos inconscientes que desequilibram suas atitudes. A educação das emoções favorece uma vida saudável, uma maior e melhor percepção do bom da vida, além de proporcionar leveza na personalidade. Para tanto, é preciso seguir alguns princípios básicos que podem ser úteis.
Extraído do livro O Bom da Vida.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Viver com Emoções 6

A emoção não liberada, consciente e adequadamente, provoca a paralisia do fluxo da Vida, o que acarreta a necessidade imperativa de expressão. É por esse motivo que ocorrem os atos falhos, provocando certos esquecimentos temporários, que acontecem as falhas de memória, que surgem as irrupções abruptas e impulsivas, que irrompem os descontroles emocionais. Muitas vezes, tais expressões se dão de forma inconsciente, como uma mania, uma doença ou um padrão de personalidade não devidamente assimilado. 

Extraído do livro O Bom da Vida.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Viver com Emoções 5

A vida pede a expressão do que se sente, por emoções ou por sentimentos. O que se sente é o que sai da essência da alma a serviço do aprimoramento do Espírito. A vida é um fluxo contínuo de expressões, desde o sentir, passando pelo pensar, até o experienciar, em que o Espírito manifesta sua íntima natureza, visando o desenvolvimento de habilidades. No meio do caminho existem as conexões psíquicas conscientes e inconscientes que são estabelecidas para que a Vida se realize.

                                                                  
                                                                          Extraído do livro O Bom da Vida.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Viver com Emoções 4

É preciso aprender a expressar emoções para que se eliminem tensões, direcionando a vontade, de forma consciente, a serviço dos superiores propósitos da própria vida. A todo momento o ser humano é instado a reagir consciente e inconscientemente aos estímulos externos que lhe provocam atitudes. Tais reações alimentam novas emoções que nem sempre são expressas e, quando o são, ocorrem de forma desordenada, promovendo, muitas vezes, culpas e conflitos.


                                                                 Extraído do livro O Bom da Vida. 

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Viver com Emoções 3

A vida humana é preenchida de experiências emocionais que, muitas vezes, são reprimidas por força da intensidade com que ocorrem e do receio de provocarem desequilíbrio ao eixo da consciência. O viver obriga que o ser humano utilize seu natural reservatório de energia emocional disponível em seu psiquismo. Tudo quanto o ser humano realize, até mesmo seu mais ínfimo pensamento, perpassa pela manipulação inconsciente de seu repertório emocional. Viver é emocionar-se.


                                                                            Extraído do livro O Bom da Vida.

domingo, 16 de abril de 2017

Viver com Emoções 2

É impossível viver sem se vincular emocionalmente às coisas, às experiências ou às pessoas, pois seria optar por não se desenvolver. Tais vínculos, inicialmente tenazes e pesados por conta da consciência em educá-los, tornar-se-ão elementos que possibilitarão as conexões com o mundo inconsciente. Viver, educando as emoções, é conectar-se ao que existe de mais profundo em si mesmo. 


Extraído do livro O Bom da Vida. 

sábado, 15 de abril de 2017

Viver com Emoções 1

O ser humano apreende a realidade com sua capacidade cognitiva e com sua mente emocional. As associações que faz para a compreensão da realidade são apenas uma das formas de percepção do mundo. Uma outra se dá com os vínculos emocionais que estabelece com coisas e pessoas. Nas emoções que elicia, encontram-se modos de percepção do mundo. Elas são ferramentas para o crescimento espiritual. Sem elas não é possível o encontro do ser consigo mesmo.





Extraído do livro O Bom da Vida. 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Tomar Consciência e Integrar a Sombra Pessoal 2

As diferentes formas de amar requerem a percepção e a adesão de pequenos e simples princípios, que podem fomentar o nascer do sentimento de amor no interior da alma humana. O amor, diferente da razão e da consciência cognitiva, brota na alma sem o controle do ego e sem que se consiga determinar o momento de seu início e de seu fim. Amar é transcender a experiência consciente e alcançar o sentido e o significado profundo de estar em Deus.


 Extraído do livro O Bom da Vida.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Tomar Consciência e Integrar a Sombra Pessoal 1

A sombra pessoal contém os aspectos desconhecidos ou negados pelo eu consciente. Desenvolver a mente consciente, voltando-a para o pensamento crítico de si mesmo, evitando as projeções, permite que a energia psíquica possa ser dirigida, sem complexidades, para o mundo das emoções que requerem educação. Com a consciência da própria sombra, as emoções poderão ser bem dirigidas e melhor educadas, dando lugar a sentimentos harmoniosos.



Extraído do Livro O Bom da Vida. 

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Semear a Amorosidade

Derivada do amor, a amorosidade é união da bondade ao pensamento lógico, objetivando construir uma relação saudável com o outro, quem quer que seja e em qualquer situação. A amorosidade é uma das formas de se viver com amor, construindo o amor, estabelecendo como meta a harmonia emocional nas relações entre pessoas. Seu exercício capacita o ser humano a sentir o amor em plenitude. Viver experiências nas quais a amorosidade esteja presente significa construir o próprio futuro, no qual a Vida sempre mandará uma resposta gratificante.




Extraído do livro O Bom da Vida. 

terça-feira, 11 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Cultivar o amor Fati

O sentimento que se diz amor, obstinado e possessivo, contra a vontade do outro não é senão a obsessão mesclada com a satisfação de emoções primitivas. Só há amor com desejo recíproco, convivência e construção de projetos comuns. O amor entre duas pessoas, ou que se destina a alguém, para gerar felicidade requer anteriormente a construção do amor Fati, isto é, o amor ao destino que se tece para si mesmo.



                                                                          Extraído do livro O Bom da Vida.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Ultrapassar a Vulgaridade 1

A grande maioria das pessoas quando não se tornam conscientes de sua imortalidade limitam-se a uma vida menor, às vezes medíocre, por falta de sentido e significado. É preciso dar um sentido ao seu existir, ultrapassando o senso comum, aprendendo a buscar o que transcende o discurso vazio dos aproveitadores e gozadores pueris. Descobrir o que satisfaz a própria alma, não se permitindo viajar no delírio coletivo ou no desejo de outrem. Descobrir o êxtase além das experiências vulgares dos inconsequentes e dos literalmente pobres em espírito. O bom da vida vai além do que agrada ao corpo, do que atende aos interesses coletivos e do que não atravessa a materialidade da vida humana.



                                                                              Extraído do livro O Bom da Vida.

domingo, 9 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Atingir a Generosidade 2

É importante estimular e incentivar as pessoas a serem melhores e mais úteis coletivamente, contribuindo para o desenvolvimento da generosidade em seus corações. Para tanto, é preciso atingir a habilidade de dar-lhes esperança, expondo sinceramente as qualidades que possuem, valorizando os atos generosos que pratiquem. Quem assim age, torna-se a manifestação da generosidade divina, permitindo que Ele atue em e com o próprio indivíduo.


Extraído do livro O Bom da Vida. 

sábado, 8 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Atingir a Generosidade 1

Considerar que uma das missões pessoais mais importantes é atingir o máximo de generosidade para com as pessoas, não permitindo dar lugar ao egoísmo quando se trata de servir ao próximo. Ser sempre generoso quando tenha que repartir ou dividir é importante passo para conquistar o coração das pessoas. Quando alguém, tendo que separar para si o que lhe cabe num quinhão, opta por dar a preferência ao outro no direito de escolha, demonstra sabedoria em forma de generosidade. Sempre que decide abdicar ou renunciar a algum direito que lhe cabe, principalmente quando se trata de questões menores, em favor de outrem, visando evitar discórdia ou afastamento, age com generosidade. A consciência da imortalidade pessoal contempla perseguir obstinadamente a generosidade para com os outros, sem esperar qualquer reciprocidade.

                                                                              

                                                                  Extraído do livro O bom da Vida.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Conscientizar-se de si mesmo

Conscientizar-se de si mesmo significa assumir-se quem é, identificando suas tendências, vontades e desejos mais profundos. Implica em perceber suas intenções conscientes e seus impulsos inconscientes. Trata-se também de ter noção clara dos próprios limites e das possibilidades e motivações, principalmente as inconscientes, para a ação. Conscientizar-se da necessidade constante de incorporar a própria sombra e de realizar sua individualidade, vivendo socialmente. Admitir claramente a própria ignorância diante dos conflitos a resolvê-los na mesma proporção em que afirma sua plena capacidade e desejo de solucioná-los. Perceber em sua personalidade o que se diferencia dos demais seres humanos, buscando, sem perda de sua própria identidade, igualar-se às pessoas na sua humanidade. A conscientização pretendida requer se tornar uma pessoa transparente em suas intenções e propósitos. A consciência de si mesmo contribui para a conquista da felicidade e da capacidade de amar as pessoas.

                                                               
                                                                                       Extraído do livro O Bom da Vida.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Amar e Ser feliz - Estar em Deus 2

O ser humano deve conscientizar-se de que não há necessidade de subserviência ou de sacrifícios para agradar ao Divino, pois se trata de uma relação de complementariedade. Deus se revela no humano e se realiza por ele. Estar em Deus é não se sentir separado ou desconectado dele, pois o sentimento é de que Ele se realiza no humano. É preciso sair das formas tradicionais de lidar com o Criador, sobretudo a de pedinte, de agradecimento ou de louvação, para assumir o papel de Seu agente. Quando a pessoa se sente em Deus, aproxima-se do sentimento de felicidade, com disposição para amar e de construir uma realidade que provoque bem-estar pessoal e coletivo.



                                                                      Extraído do livro O Bom da Vida.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz - Estar em Deus 1


Estar em Deus, significa sentir-se com a liberdade de pensar e agir outorgada pelo Criador, considerando-se Um com Ele, sem exigências ou regras para a íntima e profunda ligação com quem o criou, conectar-se a Ele pelo coração, sem medo ou culpa na tomada de decisões e nas atitudes da vida, visando ampliar a própria consciência de si e da Vida. Estar consciente de que Deus “habita” em qualquer ser humano, que tem idêntica prerrogativa no pensar e no agir, significa assumir-se como sendo a criatura que realiza o Divino. É também tomar consciência da amorosidade de Deus e de Sua infinita tolerância e bondade.

                                                                               Extraído do livro O Bom da Vida.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz 4

Apaixonar-se pela vida, pelas pessoas, pela sociedade, pela Natureza ou por um objetivo nobre são ensaios para a vivência do amor verdadeiro e pleno. Amar a Deus sem se sentir apaixonado pela Natureza e por tudo que O representa torna-se impossível, pois provoca um perigoso distanciamento da realidade, iludindo-se com devoções dirigidas a idealizações construídas cultural e artificialmente. Não se ama o que não se sente e não se referenda pela razão, pois não se pode dedicar afeição ao que não se conhece. Os sentimentos são construídos com bases em experiências emocionais. Deus só pode ser sentido e amado a partir de relações tidas com elementos de Sua obra.



Extraído do livro O Bom da Vida. 

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz 3

Desenvolver a capacidade de amar as pessoas, independentemente de quem sejam, proporciona felicidade, disposição de viver e alegria íntima de realização do sentido da própria existência. Amar alguém é algo de bom, de saudável, além de possibilitar que se faça conexão com a própria essência, pois permite que o Espírito vibre em consonância com o funcionamento do Universo, da Vida e com Deus.



Extraído do livro O Bom da Vida. 

domingo, 2 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz 2

Sem amor não há felicidade possível. Senti-lo é conectar-se às Forças Superiores do Universo. Amar a vida, o próprio destino, sentindo-se participante e proprietário do próprio processo de evolução, significa ligar-se a algo superior que irmana todos e que conduz os processos existenciais humanos. Desfrutar o bom da vida em meio às agruras do caminho, sem se deixar abater pelos revezes, requer guardar permanentemente o amor no coração.


Extraído do livro O Bom da Vida. 

sábado, 1 de abril de 2017

Amar e Ser Feliz 1

Todas as pessoas andam em busca de alguém, e esperam encontrá-lo, a quem possam dirigir seus sentimentos mais íntimos. Assim procedem por uma tendência arquetípica e espiritual coletiva, pertencente à gênese divina de toda criatura. Aliado a esse desejo de amar, existe o de ser feliz, que também é inerente à criatura que já adquiriu o estágio consciencial. Realizar o amor é um imperativo categórico para todos os seres humanos.



                                                                                     Extraído do livro O Bom da Vida.