sábado, 15 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 48

Não há limites para o perdão, pois se trata de atitude que encerra qualquer tipo de agressão. Todo ser humano, por mais insano que possa ser, sempre será digno do perdão para que possa recomeçar seu aprendizado evolutivo. Perdoar é iniciar um processo de cura da alma, de aprendizado e de investimento da energia de viver. É se tornar disponível para semelhantes experiências em que porá à prova sua capacidade de não se magoar. Quem não sabe perdoar não cresce, pois a vida exige integração de habilidades em todas as dimensões psicológicas. Quem sabe perdoar vive novas experiências, que elevam o Espírito a patamares inimagináveis.




 Extraído do livro Caridade no dia a dia.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 47



Se o outro resolver lhe perdoar, mesmo que você não se declare culpado, entenda a decisão como um ato de humildade, que significa o aprendizado de importante lição a respeito do funcionamento das relações humanas. O perdão concedido é, inicialmente, uma libertação para quem o concede. Seja, pois, caridoso ao lhe permitir sua própria alforria. Não prolongue uma contenda só porque pretende ter razão. Sua caridade para com o outro, agradecendo o perdão, é sutil demonstração de humildade e de competência para cessar uma discussão. Não se culpe porque o outro declarou a inocência, pois não há culpados quando o perdão aconteceu.


Extraído do livro Caridade no dia a dia.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 46

A Vida disponibiliza ao Espírito tudo aquilo de que necessita para evoluir. Gratuitamente, doando apenas o sacrifício de sua vontade, o Espírito dispõe de energia própria, de oportunidades e de ricas experiências para construir seu destino sem precisar cobrar qualquer vantagem do outro. Por essa razão, não perdoar é prender-se ao outro, atrasando-se na evolução, construindo um castelo em que se isola. Perdoar é libertar-se de amarras que sustentam o orgulho e valorizam a mágoa, que corrói a alma. O perdão, ao ser concedido, libera grande quantidade de energia aprisionada, disponibilizando-a para o amor.



Extraído do livro Caridade no dia a dia.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 45


Todo perdão merece gratuidade, sem exigências e sem ressentimentos, pois a consciência do Espírito deve estar livre para viver e amar. Perdoar quem lhe ofendeu é ato de caridade e o torna merecedor de semelhante dádiva. A gratuidade torna seu doador proprietário de um crédito perante a Vida, que lhe retribui sutilmente nas várias experiências em que necessita vencer algum obstáculo. A Vida é generosa com todos os que se tornam seus doadores. Todo credor da Vida beneficia-se e beneficia o Universo, pois vive de forma leve e simples, facilitando o próprio fluxo da vida. Os doadores da Vida são reconhecidos por não se magoarem e por viverem serenamente.



Texto extraído do livro Caridade no dia a dia.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 44


O Criador da Vida nos ofertou a existência do ser para que nos realizemos e, simultaneamente, modelemos o Universo. Tal presente é Sua caridade para com a criatura, que, por sua vez, deve dar continuidade, agindo da mesma forma. Estimular a vida, fomentando a caridade, estimulando o bem e construindo um Universo harmônico é trabalho a ser feito com e como Deus. A caridade divina é a vida humana imortal, com infinitas possibilidades de manifestação e de muitas oportunidades de realização. Por prerrogativa divina, o Espírito é o senhor do tempo e do Universo, cabendo-lhe trabalhar à altura de seu criador.


Extraído do livro Caridade no dia a dia.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 43

A caridade não precisa de quem queira deixar sua marca pessoal, pois visa sempre ao bem comum. A marca que você precisa deixar é em seu próprio coração, produzida por você, mesmo quando considera sua ação útil ao outro. Sua identidade deve conter feitos caridosos, realizados silenciosamente, para que você saiba sempre quem é você e do que é capaz. Há grandes realizações cujos autores não são de seu conhecimento que beneficiam você e muitos outros. O rastro que você deve deixar dos feitos caridosos constitui os benefícios consequentes. Nada melhor do que a consciência em paz sem os aplausos imediatistas.

Extraído do livro Caridade no dia a dia.

domingo, 9 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 42

Sua caridade não precisa de alarde nem de aplausos pessoais, pois sua ação desinteressada objetiva o bem maior, sem qualquer recompensa. Quando alguém exaltar seus feitos caridosos, silencie, realçando o que ainda necessita ser feito por todos. Enquanto você silencia, trabalhe em favor de seu próprio progresso e pelo bem de todos. Sua participação, muito embora possa ser pequena, será sempre grandiosa para e por você. Seu silêncio não significa acomodação, mas tão somente um modo produtivo de agir. Alardeie o bem apenas trabalhando em silêncio, produzindo algo de útil para a sociedade.


Texto extraído do livro Caridade no dia a dia.

sábado, 8 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 41

A caridade real é sempre silenciosa e eficiente, pois acontece de alma para alma a serviço do progresso de todos. Quando você fizer silêncio interior, começará a ouvir o Criador, sentindo-O suavemente, tranquilizando sua consciência. Considere que você está preparado para agir de acordo com os Desígnios Divinos. Nesse momento, a bondade lhe tomará, dirigindo suas ações em favor do bem de todos. É no silêncio da alma que o Criador se manifesta particularmente à criatura para que esta O compreenda e realize sua própria vida. Silencie os clamores ao Criador para que Ele mesmo se apresente como um sentimento puro e maravilhoso.

Texto extraído do livro Caridade no dia a dia.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 40

Tome a caridade como religião, o amor como sentimento e o bem comum como atitude permanente. Sem a caridade, a religião, cujas propostas incluem o auxílio aos que necessitam e a erradicação de todo sofrimento na Terra, é vazia de sentido. A religião deve ser o lugar no qual você deve viver a excelência de tudo o que você prega, idealiza para si e para o próximo. Nunca permita que sua religião o separe de seu irmão em humanidade ou o coloque como seu algoz. Seja sempre aquele que, em nome da religião, representa Deus e que trabalha pelo bem comum e pela implantação do reino dos céus na Terra.

Extraído do livro Caridade no dia a dia.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 39



Em sua vida cotidiana, nos atos comuns, bem como na prática religiosa, considere que tudo quanto você repete se torna automatismo, necessitando ser transformado em habilidade integrada como uma virtude. Aja no bem e sempre caridosamente, pois, independentemente da religião, você se encontra em regime de aprendizado, caminhando para tornar o preceito religioso como característica natural de sua personalidade. Decididamente, adote como norma de conduta, como princípio filosófico e como sentido de vida contribuir para que haja igualdade social, justiça e cidadania na sociedade em que você vive.



Extraído do livro Caridade no dia a dia.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 38

Normas e preceitos religiosos devem concorrer para a caridade, pois regras foram feitas para tornar o ser humano melhor. Não permita que interpretações equivocadas de anotações de sua religião petrifiquem seu coração, deixando de auxiliar o próximo. Nenhuma religião pode se opor ao perdão, à caridade e ao amor. Em sua devoção, inclua a solidariedade, a compreensão do erro do outro, a tolerância à ignorância do ser humano, bem como a caridade para com os que erram. Quando no sacerdócio religioso, não deixe de exercer ativamente a caridade para que seu exemplo se torne natural, espontâneo e integrante de sua personalidade.

Extraído do livro Caridade no dia a dia.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Caridade no dia a dia 37

Pratique a caridade naturalmente, mesmo como recomendação religiosa, pois é o caminho para a construção de uma personalidade saudável e evoluída. Sua religiosidade inclui sempre o dever da caridade para que a igualdade se estabeleça na Terra. Ao vivenciar sua religião, pratique a caridade no seu dia a dia, nos rituais que executa e, principalmente, nas relações no templo que você frequenta. Caridade é preceito obrigatório da vida religiosa do ser humano, pois implica o estabelecimento de boas relações com seus confrades. Naturalize tudo o que você faz em nome da religião, principalmente a caridade que você pratica.

Extraído do livro Caridade no dia a dia.