quarta-feira, 15 de maio de 2013

Cego


Queria ver teus olhos. O que vês?
Será que enxergam a luz que vem do amor que nunca cessa?

Queria sentir teu coração. Pelo que vibra?
Será que sintoniza com a vibração do divino em todas as coisas?

Queria te tocar a alma. O que desejas?
Será que almeja o encanto da vida?

Queria escutar-te o verbo. O que falas?
Será que teu ser eleva, à consciência, a sabedoria de harmonizar teu entorno?

Queria merecer teu sorriso. O que expressas?
Será que nele encontrarei a felicidade dos que encontraram a paz?

Queria poder estar ao teu lado. Para onde vais?
Será que andas na direção da luz?

Queria descobrir teu destino para nele colocar meu desejo, minha alma e meu amor.

7 comentários:

  1. Muito linda poesia. Vi Jesus nela. Obrigado Adenauer.

    ResponderExcluir
  2. Verdade, Poesia lindo D+ Seu Adenauer. Eu precisava pensava em uma pesoa muito especial para eu....
    E mais uma vez Obrigado para sua Palestra aqui em Munique Alemanha,
    aprendi muito
    Abracos
    Guido

    ResponderExcluir
  3. Lindas palavras,poeta Adenáuer!

    Amarelo

    ResponderExcluir
  4. Marcele Rodrigues16 de maio de 2013 08:04

    Para que deixar os ouvidos escutar o que convém?
    Para que deixar os olhos entregar o que deve ser contido?
    Para que deixar a alma desejar o que a boca tem de calar?
    Para que desejar o que não se pode ou não se deve ter?
    Para que julgar o outro se não controlas a ti mesmo?

    É chegada a hora de mudar o referencial
    De viver na simplicidade inerente ao ser
    De mudar as expectativas
    De perdoar pela ignorância que atinge a nós todos
    De agradecer a Deus pela conhecimento
    De transformá-lo em sabedoria através das atitudes e do que se carrega no íntimo.

    As lentes da minha cegueira estão se desnudando
    E clareando o caminho para a paciência, tolerância e amor.

    Muita paz!!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Adenáuer, muita paz! Lendo fiquei refletindo...Pensei em Jesus! Luz Maior, rumo certo, pegadas luminosas a nossa frente! Pensei na decisão de segui-lo, nas tantas vezes que mesmo nos dias sombrios a a sua luz infinita clareia nossos dias... Que ELE o Amigo de todas horas continue nos conduzindo e que nós seus "pequenos" não nos desviemos do caminho! Linda poesia, levo comigo essa reflexão... Um lindo e abençoado dia!

    ResponderExcluir
  6. Marcele Rodrigues17 de maio de 2013 08:09

    Caiu por terra conceitos que levam ao sofrimento.

    Não cabe mais justificativa para manter a diferenciação.
    A mente simula e dissimula para tornar conveniente.
    Não cabe mais a necessidade de se tornar o bonzinho.
    O desejo do perfeccionismo condena e impede de ir além.
    Não cabe mais o amor unilateral.
    Preocupar-se em doar ao invés de dar.

    Qual é o meu potencial?
    O que sou capaz de fazer para mim e para o próximo.
    E se não for o bastante, o importante é esgotar todas as possibilidades de fazer melhor.

    E se não for bem-aventurado por não ser manso nem pacífico.
    Serei bem-aventurado por querer, tentar e fazer o bem dentro das minhas limitações.
    Muita paz!!!

    Obs.: Sugiro para quem não foi ao Centro ontem, assistir a palestra pela TV Harmonia. Mensagem que toca a alma.

    ResponderExcluir
  7. Lindo Adenáuer!! Lendo esse poema realmente concluímos que não importa se dizem que "O amor é cego!" Pois quando amamos com toda a intensidade descrita em teu poema, somos o outro por inteiro!!!Sendo assim passamos a agir de forma que o outro sendo feliz, feliz também ficamos!!!Fazemos ao outro exatamente o que queremos receber em troca!!!
    Obrigada,
    abraços
    Carla Fabres

    ResponderExcluir