domingo, 31 de janeiro de 2016

Elevação espiritual

Gosto de pessoas que abraçam espontaneamente, sem reservas. São pessoas que têm facilidade em solucionar conflitos e agem com segurança em favor do bem comum;
Gosto de pessoas que sorriem com a alma, espalhando bons fluidos quando se doam ao próximo. São pessoas que não emitem julgamentos morais nem geram subserviência;
Gosto de pessoas que olham nos olhos e observam a beleza interior de cada ser humano com quem compartilham momentos. São pessoas que têm brilho próprio e permitem que o outro mostre sua própria luz;
Gosto de pessoas que sabem opinar e que demonstram sabedoria, sem intelectualidade barata. São pessoas que usam as palavras com propriedade e dizem muito com pouca fala;
Gosto de pessoas que entendem de questões espirituais sem dogmatismo. São pessoas que naturalizam as relações com o Mundo Espiritual, apresentando uma realidade mais ampla e menos sombria.
Gosto de pessoas que possuem amorosidade, espiritualidade e, sobretudo, humanidade;
Gosto de pessoas que gostam de pessoas e que sentem Deus, sobretudo quando se encontram com outras pessoas.


8 comentários:

  1. Ótimo texto, felizes colocações. Também gosto muito. É bom demais encontrar pessoas que possuem essas características, que se despem dos "personagens" quando se relacionam com o outro.
    Lembrei-me de uma recomendação de Jung: "Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana".

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto, felizes colocações. Também gosto muito. É bom demais encontrar pessoas que possuem essas características, que se despem dos "personagens" quando se relacionam com o outro.
    Lembrei-me de uma recomendação de Jung: "Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana".

    ResponderExcluir
  3. Assim penso tb.
    Tão fácil é tão natural.

    ResponderExcluir
  4. Assim penso tb.
    Tão fácil é tão natural.

    ResponderExcluir
  5. Gostar do gosto, do tato, do cheiro,
    de boca colada, amada, terra perfumada
    na poesia consumada, vida imaginada
    em imaginário de um povo bem brasileiro.

    Aprovar o apaixonar quando cai o olhar
    no fundo da alma sedenta atenta,
    ao profundo do mundo de pele sedenta
    que aquece o coração sem julgar.

    Adorar a alma em sorriso irrequieto
    fincado, fixada máscara em esconde-
    esconde, acariciando o subterrâneo donde
    vem o espírito em amor tão secreto.

    Enamorar as palavras em sábio cicio,
    penetrando em vapor pela mente,
    na neutralidade em expor sapiente
    o posto espiritual da casa em desafio.

    Amar finalmente o "Menino e o Mundo",
    vasta gleba que em solidão pega fundo,
    aquele que mais forte se faz.

    Amar eternamente, mesmo sem razão
    vasta gleba que em solidão nega explicação,
    aproxima pessoas a Deus emissário da paz!

    ResponderExcluir