sexta-feira, 1 de maio de 2015

Traição amorosa

Quem engana ao outro a si mesmo trai. Mascarar uma realidade é alienar-se da vida como ela é;
A fragilidade de quem trai corresponde ao desejo de amar sem os limites naturalmente impostos pela relação atual;
Melhor seria libertar o outro da dor da ausência de reciprocidade;
Na traição do outro, liberte-se da mágoa e libere o outro de seu julgamento que aprisiona a alma;
Ante o traidor, compreenda-lhe o ato como pertinente a sua incapacidade em assumir uma personalidade transparente;
Se é você o traidor, mude e assuma seu nível de entendimento de vida, evitando fazer sofrer;
O amor é capaz de errar, mas também pode retornar ao perdão, ao cuidado e ao comprometimento consigo mesmo;

Ao estabelecer um relacionamento amoroso com alguém, lembre-se de que você se compromete consigo mesmo e com a vida.

2 comentários:

  1. Assumir quem somos e ou estamos = personalidade transparente.

    ResponderExcluir
  2. Onde estás, onde estás?
    Em que círculo te alojas?
    Como achar, se não te mostras?
    Diz então, a soprar, onde andarás.
    Se em terras distantes,
    Perceber teus achados,
    Que são mirras talhadas,
    Em palácios gigantes...
    Levarei meu tesouro,
    Como segredo mais precioso,
    E em tuas moradas habitarei.
    Me receberás a qualquer hora,
    Como noiva que se adora,
    Meu Deus, de ti jamais separarei.

    ResponderExcluir